jusbrasil.com.br
14 de Agosto de 2022
    Adicione tópicos

    Determinados prisão e bloqueio de bens de acusados de trafico de drogas

    A Juíza substituta da 1ª Vara Judicial de Santo Antônio da Patrulha Elisabete Kirschke concedeu os mandados de prisão e de busca e apreensão cumpridos nesta manhã (28/11) dentro da Operação Grumatã, da Polícia Federal. A operação investiga uma rede de tráfico de drogas que teria como sede o município de Aral Moreira, Mato Grosso do Sul.

    Além da prisão, a magistrada determinou ainda o sequestro de bens, bem como a quebra do sigilo bancário dos suspeitos: Erineu Soligo, Jonathan Soligo, Eliane Altenhofer, Soely de Andrade, Airton Roldão, Ricardo dos Reis, José Carlos Paycorich e Luciana Severo. Quanto aos investigados Erineu e Jonathan Soligo - respectivamente pai e filho e apontados como os chefes do império do tráfico - determinou que fossem recolhidos em presídio federal de segurança máxima, preferencialmente no de Catanduva, Paraná.

    Na decisão, a Juíza salientou estarem presentes indícios do envolvimento dos acusados com os delitos de tráfico de drogas e de associação para o tráfico, configurando uma verdadeira organização criminosa, hierarquicamente organizada e com estrutura invejável, salientou. Decretou a prisão dos acusados para garantir a ordem pública e a aplicação da lei penal (em razão do perigo de fuga para o Paraguai). A ordem também foi motivada pela conveniência da instrução criminal, já que as investigações revelarem que a organização pretendia aliciar um mula para evitar a incriminação dos chefes da organização.

    Organização

    A magistrada destacou que as interceptações telefônicas revelam que Erineu Soligo, já condenado a uma pena de 41 anos e atualmente no regime semiaberto, comanda a organização de dentro da cadeia, via telefone celular. O filho, Jonathan, é apontado pela polícia como sucessor do pai na organização.

    Adir de Andrades e sua mulher, Soely, seriam os intermediários entre os chefes e o distribuidor da droga no Rio Grande do Sul, Carlos Altenhofer, já preso em flagrante. Ele e a esposa, Eliane Altenhofer, indicam as investigações, seriam os responsáveis por batizar a droga com outras substâncias e distribuí-la para os municípios do Vale dos Sinos e para Gravataí.

    A decisão da Juíza foi dada no dia 30/10/2012.

    Informações relacionadas

    Recurso - TJMS - Ação Crimes de Tráfico Ilícito e Uso Indevido de Drogas - Embargos de Terceiro Cível - contra Ministério Público Estadual

    Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS: HC XXXXX AM 2019/XXXXX-8

    Advocacia Geral da União
    Notíciashá 11 anos

    Garantido bloqueio de R$ 350 mil em bens de acusado por crime de tráfico de drogas

    Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região
    Jurisprudênciaano passado

    Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região TRT-3: APPS XXXXX-62.2012.5.03.0034 MG XXXXX-62.2012.5.03.0034

    Petição - TJMS - Ação Tráfico de Drogas e Condutas Afins - Inquérito Policial

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)