jusbrasil.com.br
24 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul TJ-RS - Apelação Crime: ACR 0420319-89.2015.8.21.7000 RS

Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
Segunda Câmara Criminal
Publicação
10/11/2016
Julgamento
20 de Outubro de 2016
Relator
Sandro Luz Portal
Documentos anexos
Inteiro TeorTJ-RS_ACR_70067349415_1be26.doc
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

APELAÇÃO. CRIME DE LESÕES CORPORAIS LEVES. VIOLÊNCIA DOMÉSTICA. PALAVRA DA VÍTIMA. CONDENAÇÃO. INCONFORMIDADE DA DEFESA.PALAVRA DA VÍTIMA.

Sob pena de esvaziamento da Lei Maria da Penha, a palavra da vítima, em crimes cometidos no âmbito doméstico e familiar, reveste-se de especial valoração.RECONCILIAÇÃO. Desimporta à persecução penal eventual reconciliação da vítima com o agressor, sob pena de esvaziamento da decisão proferida no julgamento da ADI nº 4424 pelo Pretório Excelso, e da própria Lei Maria da Penha.SUBSTITUIÇÃO DA PENA. Embora incabível à espécie, a substituição da pena privativa de liberdade por pena restritiva de direito, concedida na origem, vai mantida, sob pena de reformatio in pejus. APELO IMPROVIDO.
Disponível em: https://tj-rs.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/928559410/apelacao-crime-acr-70067349415-rs

Informações relacionadas

Jurisprudênciahá 19 anos

Tribunal de Justiça do Maranhão TJ-MA - APELAÇÃO CRIMINAL: APR 109092002 MA

Ausência de corpo de delito e legitimidade do MP em crimes de estupro

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AREsp 1712591 RJ 2020/0138274-0