jusbrasil.com.br
23 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul TJ-RS - Apelação Criminal: APR 0247152-89.2019.8.21.7000 RS

Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
Sexta Câmara Criminal
Publicação
26/01/2021
Julgamento
17 de Dezembro de 2020
Relator
Ricardo Bernd
Documentos anexos
Inteiro TeorTJ-RS_APR_70082752437_c678e.doc
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

APELAÇÃO CRIME. FURTO SIMPLES. PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA. TESE NÃO ACOLHIDA.

Não prospera a irresignação defensiva quanto à atipicidade material da conduta, pela aplicação do princípio da insignificância, pois os bens subtraídos correspondem a, aproximadamente 27%, do valor do salário mínimo vigente à época do fato, o que evidencia a lesividade da conduta praticada. Ademais, o réu é multireincidente, circunstância que reforça a inaplicabilidade do referido princípio. COMPENSAÇÃO INTEGRAL DA AGRAVANTE DE REINCIDÊNCIA COM A ATENUANTE DE CONFISSÃO. INVIABILIDADE.Em se tratando de réu, como suso apontado, multireincidente, irretorquível se mostrar, tendo como norte os princípios da individuação da pena e da proporcionalidade, a compensação parcial da agravante da reincidência com a atenuante da cofissão, como operado na sentença.READEAQUAÇÃO DO REGIME SEMIABERTO AO REGIME ABERTO.Inviável a readequação do regime de cumprimento da pena do semiaberto para o aberto, pois a reincidência conduz ao regime imediatamente mais gravoso. SUBSTITUIÇÃO DA PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE POR RESTRITIVA DE DIREITOS.Não obstante se trate de delito perpetrado sem violência ou grave ameaça à pessoa e com pena inferior a 04 anos, a substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direitos encontra óbice na reincidência, forte no art. 44, II, do Código Penal. Tampouco merece guarida o pleito com fundamento no § 3º do mesmo dispositivo legal, pois a multireincidência em crimes contra o patrimônio demonstra não ser a medida socialmente recomendada.ISENÇÃO OU EXCLUSÃO DA PENA DE MULTA.Inviável a exclusão ou isenção da pena de multa, expressamente cominada de forma cumulativa no tipo penal, sob pena de ofensa ao princípio da legalidade. Não se caracteriza, ainda, qualquer violação ao princípio da intranscendência, porquanto a responsabilidade pelo seu pagamento é exclusivamente do condenado e não de seus familiares.APELO DEFENSIVO IMPROVIDO.
Disponível em: https://tj-rs.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/1159046808/apelacao-criminal-apr-70082752437-rs

Informações relacionadas

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 2 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS: HC 610127 SP 2020/0225482-1

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 4 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS: HC 471436 PE 2018/0253351-0

Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 12 anos

Supremo Tribunal Federal STF - HABEAS CORPUS: HC 102088 RS